RECEBA NOVIDADES VIA:

Farmacopéia Popular do Cerrado

A Farmacopéia Popular do Cerrado é um sistema de registro de conhecimentos tradicionais associados à biodiversidade, adotado por comunidades locais e povos indígenas, na perspectiva de dar visibilidade, proteger e promover o uso de plantas medicinais por raizeiras e raizeiros do Cerrado.

Raizeiro conta seus conhecimentos tradicionais sobre a planta "pé de perdiz" durante pesquisa de campo da Farmacopéia Popular do Cerrado, em Goiás

Raizeiro conta seus conhecimentos tradicionais sobre a planta "pé de perdiz" durante pesquisa de campo da Farmacopéia Popular do Cerrado, em Goiás

A pesquisa de campo para a sua elaboração foi realizada no período de 2001 a 2005, nos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Maranhão, sendo publicada em 2009, com a autoria de 262 raizeiras, raizeiros e representantes de farmacinhas comunitárias.

A Farmacopéia Popular do Cerrado é uma referência teórica para a segurança de indicação de remédios caseiros no dia-a-dia das comunidades locais e indígenas, e de suas farmacinhas comunitárias, fazendo parte do projeto político da Articulação Pacari de “Auto-regulação da medicina tradicional”.

- Encontro para o registro coletivo de conhecimentos tradicionais durante a elaboração da Farmacopéia Popular do Cerrado, em Goiás

- Encontro para o registro coletivo de conhecimentos tradicionais durante a elaboração da Farmacopéia Popular do Cerrado, em Goiás

O livro contém nove monografias populares de plantas medicinais, que abrangem elementos de identificação das espécies, descrição de seus ambientes de ocorrência e relações ecológicas, caracterização da parte usada da planta, técnicas de manejo sustentável para a sua coleta, indicação popular de seu uso medicinal, formas de uso e toxidade.



Veja também: